Ir para página princial  
Ir para página princial
22/05/2019
Go to English Version
Ir para página princial  
  home
 
 
 
Conheca o Serviço de Geriatria do HCFMUSP Serviços disponibilizados pelo SGHC Saiba mais sobre Alimentação, Atividades físicas e tambem artigos de especialistas Tire sua dúvida com nossos especialistas. Consulte o nosso Guia Médico Entre em contato conosco

4º ANO / 2016

Coordenação: Dra. Elina Lika Kikuchi
Professor Responsável: Prof. Dr. Wilson Jacob Filho

Corpo Docente:

Grupo A – Dra. Elina Lika Kikuchi
Grupo B – Dra. Naira Hossepian S. L. Hojaij
Grupo C – Dra. Juliana Yumi Tizon Kasai
Grupo D – Prof. Dr. Alexandre Leopold Busse
Grupo E – Dra. Lilian Schafirovits Morillo
Grupo F – Dr. Marlon Juliano Romero Aliberti
Grupo G – Dr. Thiago Junqueira Avelino da Silva
Grupo H – Dr. José Renato das Graças Amaral

Local de encontro: enfermaria da Geriatria (6º andar ICHC)

É importante lembrar que o ensino de Geriatria difere das demais especialidades clínicas, por compreender uma fase da vida e não um órgão ou sistema específico. Portanto, a proposta pedagógica para a abordagem deste conteúdo programático é a de avaliar o paciente como um todo, da maneira o mais abrangente possível, incluindo anamnese e exame físico característicos da faixa etária, assim como suas doenças e limitações, caracterizando-o principalmente quanto às suas capacidades e limitações funcionais.

  • OBJETIVO

Capacitar os alunos a diferenciar as particularidades dos idosos em relação aos adultos jovens, tanto na valorização das informações como na tomada de decisões, com ênfase na compreensão da necessidade de prevenir e otimizar a sua funcionalidade e, diferenciar o papel do geriatra em relação às demais especialidades médicas.
Esta capacitação inclui atitudes, conhecimento e habilidades, que são necessárias para o cuidado da população idosa.

I. Atitudes
A. Desfazer os mitos e estereótipos relacionados aos idosos.
B Reconhecer que o etarismo afeta todos os níveis e aspectos da sociedade, incluindo profissionais de saúde, o que pode prejudicar o cuidado com esta população.
C. Reconhecer a heterogeneidade dos idosos – um grupo com diferentes personalidades, valores, níveis de funcionalidade e doenças clínicas. Portanto, cada pessoa necessita ser vista como um indivíduo, apesar da idade cronológica.
D. Reconhecer a importância da equipe interdisciplinar no cuidado de pacientes idosos.
E. Reconhecer a importância dos familiares e cuidadores no auxílio da anamnese e do tratamento de idosos frágeis.
F. Reconhecer situações clínicas onde a expectativa de vida, o estado funcional ou a preferência do paciente se sobrepõe às recomendações padrões de rastreamento ou tratamento de idosos.
G. Reconhecer a importância de priorizar a melhora da qualidade de vida em relação à instituição de tratamento padrão de doenças específicas.

II. Conhecimento
A. Epidemiologia do Envelhecimento.
B. Senescência X Senilidade
C. Propedêutica do Idoso.
D. Síndromes Geriátricas: os alunos devem se familiarizar com as condições geriátricas mais comuns e ter conhecimento básico dos fatores de risco, causas, fisiopatologia, sinais e sintomas, diagnóstico diferencial, avaliação inicial e estratégias de prevenção. Estas condições incluem:

  • Iatrogenia e medicação potencialmente inapropriada para o idoso
  • Depressão
  • Demência
  • Delirium
  • Instabilidade e Quedas
  • Imobilidade
  • Fragilidade
  • Incontinência urinária

E. Multimorbidade, com as doenças mais comuns ou com apresentação atípica em idosos: hipertensão arterial, diabetes mellitus, hiper e hipotireoidismo, insuficiência cardíaca, infecções, constipação intestinal, osteoporose, osteoartrite, disfunção sexual.
F. Promoção de Saúde
G. Cuidados Paliativos – sensibilização à finitude e manejo de sintomas (dor)

III. Habilidades

  • Realizar anamnese e exame clínico do idoso, diferenciando o normal do patológico.
  • Aplicar e interpretar instrumentos para o auxílio no diagnóstico das síndromes geriátricas:
  • Mini-Exame do Estado Mental, Teste de Fluência Verbal e Teste do Relógio
  • Escala de Depressão Geriátrica (GDS) e Critérios de depressão do DSM-5
  • Teste do “Levantar e Andar” (Timed Get Up And Go)
  • Avaliação das atividades básicas e instrumentais de vida diária (Katz e Lawton)
  • METODOLOGIA

O Curso de Geriatria se baseia em atividades teórico-práticas e para tal, cada um dos grupos de 11 ou 12 alunos ficam sob a orientação de um professor e dois monitores.
O local de encontro com os alunos é no 6º andar ICHC, em frente à enfermaria de Geriatria. Nos seis períodos de quatro horas será desenvolvido o seguinte conteúdo programático:
Aula 1: Teórica: Introdução à Geriatria – Prof. Dr. Wilson Jacob Filho
Teórica + Caso Clínico 1 / Prática: Senescência e Senilidade / Promoção de Saúde

Aula 2: Prática: Propedêutica do Idoso (Anamnese e Exame Físico)
Avaliação Global do Idoso
Teórica + Caso Clínico 2/ Prática: Iatrogenia + Incontinência Urinária

Aula 3: Teórica + Caso clínico 3/ Prática: Demência (avaliação cognitiva), Delirium

Aula 4: Teórica + Caso clínico 4/ Prática: Quedas (avaliação equilíbrio e marcha), Depressão

Aula 5: Teórica + Caso Clínico 5 e 6 / Prática: Fragilidade, Imobilidade, Cuidados Paliativos

Aula 6: Teórica + Prática /Caso Interativo: Multimorbidade
PROVA

  • AVALIAÇÃO
  • Frequência (mínimo de 70%)
  • Nota de conceito
    • Interesse, participação nas discussões de casos clínicos, entrevistas com os pacientes.
  • Mini-prova ao final
    • Prova teórica com casos clínicos (elaborada e corrigida por uma comissão de avaliação independente do professor)
  • A nota final será: (frequência x 3; mini–prova x 3 e conceito x 4)/10.

D. Avaliação do curso
                        Os alunos devem preencher a avaliação ao final do curso e nomear um representante do grupo para entregar diretamente na Secretaria da Disciplina de Geriatria, PAMB, 8° andar – bloco 10, NAPEGG.

  • BIBLIOGRAFIA BÁSICA
  • Jacob Filho W, Kikuchi EL. Geriatria e Gerontologia Básicas. Ed. Elsevier 2011.
  • Módulo de Geriatria. Livro de Clínica Médica do Hospital das Clínicas, 2ª. Ed. Ed. Manole 2016.
  • Manual de Terapêutica não Farmacológica em Geriatria e Gerontologia & Orientações ao Paciente. Ed. Atheneu 2014. http://www.gerosaude.com.br/suasaude/manualdeterapeutica.asp
  • Jacob Filho W. Geriatria. In: Diagnóstico e tratamento, volume 2. Antonio Carlos Lopes (ed.). Editora Manole, 2006, 1ª edição, pág. 789-856.

 

  • DISPONIBILIZAÇÃO DE AULAS E BIBLIOGRAFIA – SITE MEDUSP DIGITAL
  • Se você não ainda não ativou a sua conta no MEDUSP DIGITAL/GRADUAÇÃO:

1 – Acessar: http://digital.fm.usp.br/graduacao/
2 – Clique no quadro à direita “Para ativar sua conta
3 – Digite o seu número USP.
4 – Preencha os campos solicitados.
5 – Após a Ativação efetuada, clique em VOLTAR PARA A PÁGINA INICIAL e depois no nome do curso DISCIPLINA DE GERIATRIA (dentro de Clínica Médica).
6 – Você será direcionado para a página de login e senha. Preencha os campos com os dados cadastrados.

  • Se você já possui cadastro no MEDUSP DIGITAL/GRADUAÇÃO:

1 – Acessar: http://digital.fm.usp.br/graduacao/
2 – Clique no nome do curso DISCIPLINA DE GERIATRIA (dentro de Clínica Médica).
3 – Preencha os campos NOME DE USUÁRIO e SENHA.


  • PERGUNTAS ORIENTADORAS

 

1. Conceitos gerais
1. Reconhecer as alterações da senescência na propedêutica do idoso
2. Reconhecer

  • o que mais incomoda o paciente
  • o que põe em risco a vida do paciente
  • o que mais compromete o seu bem estar
  • repercussão funcional das doenças
  • Identificar apresentações clínicas atípicas no idoso.
  • Avaliar a presença de fatores de risco para reações adversas a medicamentos.
  • Relacionar sintomas com possíveis efeitos adversos de algum medicamento.
  • Discutir estratégias de prevenção de eventos adversos em idosos.

2. Depressão, Demência e Delirium

  • Quais são os sintomas mais frequentes de depressão no idoso em relação ao adulto jovem?
  • Quais doenças ou condições estão associadas a sintomas de depressão?
  • Diferenciar esquecimento normal de esquecimento patológico.
  • Definir comprometimento cognitivo leve.
  • Quais as causas reversíveis de demência?
  • Quais as principais causas irreversíveis de demência?
  • Quais as principais diferenças entre demência por Doença de Alzheimer e demência vascular?
  • Princípios terapêuticos: estratégias terapêuticas não medicamentosas e medicamentosas para depressão e demência.
  • Descrever as apresentações típicas e história natural do delirium, ressaltando as particularidades nos idosos.
  • Quais são as causas comuns de delirium no idoso?
  • Quais são as principais diferenças entre delirium e demência?

3. Quedas e Imobilidade

  • Quais são os fatores de risco (extrínsecos e intrínsecos) para quedas em idosos?
  • Quais as consequências que as quedas causam na vida do idoso?
  • Quais são as estratégias de prevenção de quedas no idoso.
  • Quais os fatores que podem levar à imobilidade?
  • Quais as principais complicações do repouso prolongado e/ou imobilidade no idoso?
  • Quais as principais estratégias de prevenção da imobilidade e de suas complicações?

4. Incontinência urinária

  • Quais as causas reversíveis de incontinência urinária no idoso?
  • Quais as principais consequências da incontinência urinária no idoso?

5. Fragilidade
1. Qual a definição de fragilidade?
2. Quais os fatores de risco para a síndrome da fragilidade?
3. Como avaliar o idoso frágil?

6. Cuidados paliativos

  • O que são cuidados paliativos e a que tipo de paciente eles se aplicam?
  • Discutir tratamento curativo X paliativo.
  • Quais sintomas podem ser paliados?
  • Definir distanásia x ortotanásia x eutanásia

7. Promoção de saúde

    • Quais as orientações que deveriam ser realizadas para um idoso que gostaria de realizar um “check up”?
    • Quais exames são indicados para rastreamento de neoplasias?
    • Qual o impacto de cada estratégia de promoção de saúde na vida do idoso?
 
 
 
 
© GEROSAUDE ( 1982 - 2019 ) - CEPEN Centro de Estudos e Pesquisas em Evelhecimento. Proibida a reprodução integral ou parcial, para uso comercial, editorial ou republicação na internet, sem autorização, mesmo qir citada a fonte- (Inciso I do Artigo 29 - Lei 9.610/98). Permitido o uso para trabalhos escolares, sem autorização prévia, desde que não sejam republicados na internet. Todos os direitos reservados. Importante: Os anúncios publicados são de responsabilidade exclusiva de seus respectivos anunciantes, não constituindo qualquer forma de indicação ou interferência no conteúdo editorial.

Aviso Legal:
Declinamos toda e qualquer responsabilidade legal advinda da utilização das informações acessadas através do portal GEROSAUDE, o qual tem por objetivo a informação, divulgação e educação em temas geriátricos e gerontólogos cujos artigos expressam, fundamentalmente, o ponto de vista dos seus respectivos autores. Tais informações não deverão, de forma alguma, ser utilizadas para o diagnóstico ou tratamento de qualquer doença sem a insubistituível orientação de um profissional competente.
produzido por eadmed